.24 de setembro de 2017

[FILME] Frank



"A gente só assiste uns filmes da porra de loucos, né?!" 
    Essa foi a minha constatação quando Samuel e eu terminamos de assistir ao incrível e muito insano, Frank
Nessa produção independente de 2014, vamos acompanhar John, um jovem aspirante a músico que vive frustrado por não poder seguir essa carreira. Em um dia comum, ele conhece o pessoal da banda The Soronprfbs (sim, você não vai conseguir pronunciar esse nome) que está precisando de um novo tecladista ( o antigo tentou o suicídio). O rapaz já gostava da banda e aceitou na mesma hora participar de um show deles, é nele que John conhece Frank, vocalista e principal  compositor do grupo, Frank já seria uma "figura" só pelo modo de falar e interagir com o mundo, mas o que realmente impressiona nosso protagonista é a cabeça gigante que o cara usa no lugar de sua própria... 
Depois da apresentação eles embarcam em uma viagem para produzir um álbum, porém ninguém avisa isso para John que vai imaginando que participará de outro show e acaba ficando quase um ano confinado com essa galera muito, mas muito louca e sem noção, tudo em nome da arte. 
Ao longo desse período, ele começa a desenvolver uma espécie de fascinação/obsessão por Frank e pela própria banda também que parece não querer sucesso e só fazer o seu som singular mesmo. 
Como já deixei transparecer desde o começo do post, esse filme é muito louco. Os atores estão muito bem em suas personagens e Frank é, com certeza, a pessoa mais impressionante e pirada que já vi em minha vida! A trilha sonora também é muito legal, se você, como eu, gosta de músicas psicodélicas e fora da casinha mesmo, no mais, é isso. =)

.21 de setembro de 2017

Respondendo a Tag: The Name Game



Olá! Olha só, estou conseguindo postar por aqui apesar das adversidades, uhu!! E em comemoração a isso e também porque estou beeem atrasada com minhas leituras, (fazer o quê?) resolvi ressuscitar uma tag que vi no canal Tiny Little Things da Tatiana Feltrin, infelizmente, não sei quem a criou, mas ela parece ser de 2013 e não conheço ninguém além da Tati que tenha respondido. 
Enfim, essa tag consiste simplesmente em apresentar livros que façam parte de sua coleção, que você queira ler, ou tenha lido que comecem com as letras de seu nome. Para quem não sabe, meu nome é Andréa sem i, por favor, nossa, como me enerva quando escrevem meu nome errado, sério, meu nome é Andréa com um "é" bem sonoro e aberto, não aceito nada menos do que isso (risos), agora, vamos a tag: 

Esse livro é super especial para mim porque foi um presente que ganhei da minha amiga Gabih há muitos anos atrás, acho que eu devia ter uns 15 ou 16 anos quando ela me deu esse presente e lembro-me de tê-lo devorado rapidamente, preciso fazer uma releitura logo! 

Outro livro incrível lido em minha adolescência e indicado por um amigo, agora, o Fernandinho, meu amigão que me viciou em Paulo Coelho! Adorei esse romance e acho que este foi o segundo do autor com o qual tive contato, mais um para releitura... 

Primeiro livro de vampiros que li mais semelhante com a visão clássica dessa figura mitológica! Fiquei bem chocada com todo o desenvolvimento do enredo e o final foi bem agridoce, digamos... Ótimo romance para quem gosta de elementos sobrenaturais que saem da caixinha young adult. 

Para a letra "R"  precisei pegar um livro em inglês porque realmente não me lembro de ter lido alguma coisa em nossa língua que tenha me marcado e começasse com essa letra. Esse título é importante para mim, primeiro, porque essa é uma das histórias do ciclo de Avalon das quais mais me interessei pelo contexto histórico extremamente rico e, segundo, porque minha versão em inglês foi um presente do Samuel, um presente que muito me surpreendeu e alegrou *___* 

Quem assistiu a novela de mesmo título que passava no SBT? Eu!! Caramba, eu adorava e, pasmem, só fui descobrir a respeito do livro quando estava no primeiro ano da faculdade, em 2013, eu sou pisciana, gente, desligada... 
Li a obra e percebi que ela tem muitos pontos diferentes da adaptação e gosto de ambas, mas o romance de Dupré é muito, muito triste e comovente e ainda não tive coragem de ler a continuação "Dona Lola"...
A série As Brumas de Avalon também fez parte de minha adolescência e mudou muito minha visão de mundo acerca de vários conceitos e até hoje sou totalmente cativada por essa história. Não teria conhecido muitos outros romances se não fosse por esse primeiro. Pretendo reler o mais breve possível! Pelo menos os antecessores, li todos.













Então é isso, gente, faço minhas as palavras da Tatiana e já aviso que se respondesse essa tag no mês que vem com certeza os livros seriam outros e teria muitas outras histórias para contar a respeito deles... Não vou marcar ninguém, mas sintam-se à vontade para respondê-la e mostrar seus livros mais marcantes com suas letras. =) 


.18 de setembro de 2017

[FILME] - O Nome da Rosa


Há tempos queria conhecer essa história, mas nunca tinha oportunidade de assisti-la e muito menos de lê-la, até que em um domingo preguiçoso, Samuel e eu decidimos nos aventurar nesse enredo. 
Acredito que a maioria saiba do fato deste filme tratar de uma adaptação do livro homônimo do já falecido Umberto Eco
O longa se passa no interior da Itália medieval, mais precisamente, em um mosteiro que é também a maior biblioteca da cristandade. William de Baskerville e seu pupilo Adso vão até lá por causa de um concílio realizado entre sua ordem (franciscanos) e os representantes do Vaticano. Percebemos haver uma rixa de todos contra essa ordem mendicante, pois estes querem uma Igreja verdadeiramente devota e humilde algo totalmente contra os próprios interesses dos líderes da mesma, além da questão do humor e riso sendo vistos como algo normal para os primeiros e um pecado terrível para todos os outros... 
O cenário já não era favorável a nossos amigos e uma série de mortes misteriosas, ou seriam assassinatos? Faz com que William e Adso comecem uma investigação que revelará o quão podre era a vida em um mosteiro medieval...
Como dito acima, esse filme faz uma reconstituição de época fiel, até mesmo fiel demais ao período (o que pode incomodar um pouco aos de estômago mais sensível), ademais as referências a Sherlock Holmes são também muito interessantes de se acompanhar e o desfecho é surpreendente e dá margem para muitas interpretações sobre o porquê de "O nome da Rosa"... 
Logo, se você gosta de histórias ambientadas na Europa do século XIII e narrativas policiais com certeza vai adorar esse filme e consequentemente o livro que pretendo ler em breve também. =) 

.15 de setembro de 2017

A pequena Dorrit - Charles Dickens


    Romance lançado, primeiramente, em folhetim e publicado como livro em 1857. Mais uma vez, temos uma obra dickeniana de teor autobiográfico e crítico. 
    A narrativa começa com Arthur Clennan voltando para casa, em Londres, após a morte do pai no exterior. Ele não tem uma boa relação com a mãe porque esta sempre o tratou muito mal e o fato de, na hora da morte, seu pai ter frisado que tinha arrependimentos, o deixa desconfiado e querendo respostas. 
   Ainda nos primeiros dias, Arthur conhece a jovem Amy Dorrit e fica deveras intrigado com a relação amável entre a moça e sua mãe e resolve segui-la para saber mais a seu respeito. Por causa da perseguição, ele descobre que Amy mora em uma penitenciária, na verdade, ela nasceu e foi criada lá, pois seu pai foi preso há muitos anos e nunca conseguiu pagar suas dívidas. 
    Essa descoberta faz com que os dois se aproximem e Clennan resolve ajudar a moça de todas as maneiras possíveis, mas ao mesmo tempo que faz isso um grande golpe do destino pode ser capaz de arruinar sua vida, ou não... 
    O romance traz uma crítica bem ácida a situação das pessoas que ficavam sob a custódia do Estado por não pagarem suas dívidas, pois, presas, como poderiam quitá-las?! Ademais, o próprio Dickens passou pela mesma situação da pequena Dorrit, tendo de trabalhar para ajudar no sustento da família, morando em uma prisão por muitos anos. 
   Outra crítica digna de nota é o modo como as personagens mudam drasticamente, para pior, por causa de algumas mudanças econômicas em suas vidas, menos a pequena Amy, esta, nossa protagonista romântica, continua "perfeita". 
    Sinceramente. não sei se estou gostando mesmo do estilo de Dickens... Suas críticas sociais são ótimas e nos dão um panorama incrível do século XIX, entretanto, as excessivas descrições me deixaram bem enfadada, ou seja, talvez, para aqueles que não gostam muito disso, seja válido assistir primeiro à série da BBC e se gostar, embarcar nessa leitura. 

.12 de setembro de 2017

A Terra dos Meninos Pelados - Graciliano Ramos


Olá, pessoal! Hoje vamos falar sobre mais um livro infantil de "mestre Graça", dessa vez, o arauto da valorização da diversidade: A terra dos meninos pelados
Publicada em 1939, essa novela conta a história do menino Raimundo que é careca e tem um olho azul e outro castanho, por causa disso, ele sofre com o preconceito das crianças de seu bairro que não o incluem em suas brincadeiras por ele ser diferente. A solidão faz com que nosso protagonista invente um lugar especial onde todos têm as mesmas características que as dele e são felizes assim. 
Um dia, tentando isolar-se por causa das perseguições e insultos, Raimundo "chega" a Terra dos Meninos Pelados, mas percebe que nem sempre ser "igual" é bom e que ninguém deve obrigar ninguém a obedecer determinados padrões, não importam os motivos. 
Essa obra, por ser infantil, aborda o tema diversidade e preconceito de maneira singela e lúdica, algo que gostei muito. Além disso, minha edição da Record traz um glossário bem interessante e informações sobre o autor e contexto da obra, dois pontos bem importantes para melhorar a experiência de leitura dos pequenos. Achei muito válido e com certeza educadores e pais deveriam ler esse livro para discutir o tema com as crianças. 

.3 de setembro de 2017

[FILME] - Entre os Muros da Escola


      Olá, pessoal! Depois de alguns dias pensando e analisando, decidi voltar ao blog, não sei se farei postagens com a frequência dos meses anteriores, mas prometo tentar não sumir! Ao longo desses anos, quase desisti desse projeto várias vezes e cheguei a postar apenas cinco textos em um ano, mas não quero fazer isso novamente, então, para começar esse pequeno retorno, vamos falar a respeito de uma obra que retrata bem a realidade da profissão que escolhi para minha vida...
Entre os Muros da Escola, lançado em 2008, vencedor de várias premiações, mostra o cotidiano conflituoso de uma escola pública da periferia de Paris. 
     O filme começa com uma reunião pedagógica de início de ano na qual a equipe da escola se apresenta e mostra aos novos colegas quais são os alunos "problemáticos" e como tudo funciona por lá. Na segunda cena, somos apresentados ao professor de Francês, François, que tem sérios problemas com sua turma de alunos indisciplinados e debochados, sem muito conhecimento da língua, pois a maioria é imigrante de regiões como o Norte da África, Oriente Médio e ilhas gerenciadas pela França, apesar de estarem nesse país estrangeiro e precisarem aprender para integrar-se ao meio, eles não têm muito interesse no que os professores explicam e estão sempre tentando subverter as aulas. 
     Eles questionam muito tudo o que François ensina, dizendo ser retrógrado, difícil e este não consegue cativar a turma, até tenta fazer atividades lúdicas, tenta entendê-los, porém, a resistência dos jovens é grande. Muitos profissionais dessa escola até gostam da profissão e querem fazer o seu melhor, o problema é que a pluralidade de culturas e etnias, uma realidade nova e diferente, parece tê-los pego de surpresa e essa equipe não está preparada para lidar com toda essa novidade, não conseguindo alcançar os alunos e integrá-los a rotina escolar. 
     Há um momento no qual François perde a paciência por causa da constante saraivada de perguntas irrelevantes de sua turma, causando uma situação com consequências bem desagradáveis e aparentemente irreparáveis... 
     Essa é uma produção que considero fundamental para qualquer professor, ou qualquer um que queira entrar nessa profissão, pois tudo é muito realista e semelhante ao que tenho visto ao longo desses anos como educadora em nosso país, algo que me surpreendeu bastante porque acreditava ser a França bem diferente quando se fala de educação. Preciso confessar que os alunos me deixaram muito revoltada, acho que, se fosse eu, teria desistido da turma e entregado as aulas, mas cada um sabe até onde consegue suportar adolescentes pedantes e desinteressados...
     Uma informação bem interessante é que esse roteiro é baseado em um livro homônimo escrito pelo ator que interpreta o professor François e praticamente todo o elenco é composto por não-atores, achei isso incrível! 
     Enfim, esse é um filme muito bom e bem revoltante, mas que te faz pensar e avaliar sua conduta, ajudando até mesmo a criar novas estratégias de ensino caso seja professor como eu. 

.24 de agosto de 2017

Dando um tempo no blog...

Oi, gente... 
No ano passado tive vários problemas pessoais que não comentei com ninguém além de amigos que realmente confio, mas hoje aconteceu algo que talvez mude tudo aquilo que eu acreditava na minha vida e estou totalmente desestabilizada, então, decidi dar um tempo de redes sociais, dar um tempo de absolutamente tudo porque não sei muito bem como lidar com essa situação que tirou o meu chão de um modo bem repentino. Pode ser que eu esteja exagerando, mas não sei, logo, vou dar um tempo de tudo, quem sabe daqui um tempo eu volte. 
Obrigada por tudo! 
© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger