.24 de maio de 2017

Orlando - Virginia Woolf

    


     Virginia Woolf é um dos maiores nome do Modernismo Inglês e uma das maiores autoras da literatura mundial. E também no ano passado decidi que leria os livros dela, mas após algumas pesquisas básicas, achei que não estava preparada para sua técnica de fluxo de consciência, tão característica, por isso li outros autores como Lygia Fagundes Telles e Falkner para que, nesse ano, me sentisse mais "confortável", só que para minha total surpresa, o primeiro livro escolhido para adentrar a obra de Woolf é escrito de maneira bem direta e até mesmo linear.
Orlando conta a história de um rapaz jovem e nobre, contemporâneo da Rainha Elizabeth I que, com o passar dos anos, de repente, não mais que de repente, torna-se uma mulher. Sim, você não leu errado, ele se transforma em uma mulher, física e mentalmente, como isso acontece? Não importa.
Com certeza você deve ter notado um certo teor fantástico nesse romance, mas a mudança de gênero da protagonista não é o único elemento fora do "natural" da trama, uma vez que a narrativa começa no final da Era Elizabethana e termina no início do século XX, ou seja, a personagem-título também é imortal. 
Todos esses elementos fantásticos não são explicados pelo narrador, e muito menos questionados pelas personagens. A transformação de Orlando em "a" Orlando, além de sua juventude e vida eternas são levadas por todos de maneira bem cotidiana e corriqueira, mas tudo é descrito de maneira muito reflexiva, sempre trazendo um questionamento referente aos vários tabus da época.
A melhor parte do livro, sem sombra de dúvidas, é o capítulo no qual a narradora descreve metaforicamente o "surgimento" do século XIX e de seus costumes tão característicos, a obra já vale muitíssimo só por essa passagem que é de uma sagacidade brilhante.
Sinceramente, não é que eu não tenha gostado de Orlando, gostei, a narrativa feita em formato de "biografia" é bem instigante, mas eu esperava algo diferente, acho que passei tanto tempo lendo resenhas de livros da autora que falavam a respeito do intimismo, fluxo de consciência que, enfim, se não tivesse o maravilhoso capítulo supracitado, com certeza, sairia dessa leitura bem frustrada... 
Esse livro é muito interessante para aqueles que como eu querem saber mais a respeito de questões de gênero da maneira como elas devem ser vistas: algo natural, se a pessoa se sente uma mulher, o que a impede de sê-lo? Ou o contrário? No caso de Orlando, tudo acontece tão naturalmente que a crítica da autora pode passar despercebida, mas atentem-se, a falta de explicações têm motivos e a reflexão e o respeito são alguns deles. 

9 comentários:

  1. Nunca li um livro da Virginia Woolf, mas escuto falar tanto sobre ela que acho que também ficaria com as expectativas lá em cima. Não posso dizer que fiquei louco de vontade de ler, mas vou colocar na lista do "talvez"

    ResponderExcluir
  2. Olá Andrea,
    Nunca li nada da autora, mas já li inúmeros elogios para obras dela.
    Achei a ideia desse livro interessante e fiquei com a sensação que é um livro que acrescenta muito, que nos faz pensar.
    Vou anotar a dica e espero gostar ♥
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Nunca li nada da autora, mas achei a resenha bem direta e me deixou curiosa para saber mais e conhecer as obras da autora.
    Dica anotada, um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Oláaa! Tudo bem? Nunca li nada da autora, logico que já ouvi falar rs Mas nunca li nada. E na hora que li o começo da resenha lembrei de ''Garota Dinamarquesa'' não sei mas veio na cabeça. rs
    Gostei da premissa do livro, mas não sei se a leitura me agradaria.
    Mas quem sabe um dia não leio.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá! Confesso que ainda não senti vontade de ler obras da autora. Acho que até poderia ler esta obra que você citou, mas fio ainda com um pé atrás. Não me sinto preparada.srsr

    Sua resenha está muito dez, adorei a escrita e os argumentos!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Clássicos são difíceis pra mim porque o fluxo de pensamentos e reflexões são demais pra mim, ou seja, ainda não tenho a capacidade de compreender uma obra tão forte como essa. O que não significa que, um dia, me arrisque a ler.

    ResponderExcluir
  7. Oie amore, não conhecia o livro até o momento... mas me instigou a leitura já... mesmo parecendo se tratar de um livro um tanto quanto forte... vou deixar anotada a dica por aqui pra quem sabe ler no futuro.
    Adorei a resenha!
    Beijoka!

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?

    Não conhecia a autora, tão pouco suas obras, mas confesso que fiquei curiosa exatamente por não ter visto nada sobre, tendo em vista que curto algumas leituras de autoras da época. Que pena que o livro não superou as suas expectativas, ainda assim, dica anotada!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Oie,
    Você acredita que eu acho essa mulher um mito sem nunca ter lido nada dela, hahaha só de ouvir os outros falarem..
    Pena que você não achou tão bom, mas ainda bem que também não foi frustrante hahaha
    Beijos <3

    ResponderExcluir

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D

© LIVRE LENDO - 2016 | Todos os direitos reservados. | Blog de Andrea Morais | Tecnologia do Blogger